DICAS
CAMPANHAS
NOVIDADES
EXPERIÊNCIAS
EVENTOS
E MAUITO MAIS 

ONDE SE PODE ACAMPAR ?

LÁ LONGE

mag

 FICA LOGO A SABER 

  ONDE PODES ESTACIONAR  

Em qualquer local onde seja possível estacionar 

  ONDE PODES ACAMPAR  

LEGALMENTE EM PARQUES DE CAMPISMO OU AUTO-CARAVANISMO, TERRENOS PRIVADOS COM AS DEVIDAS AUTORIZAÇÕES, OUTROS EVENTOS COM AS DEVIDAS LICENÇAS PARA O EFEITO

  ONDE PODES PERNOITAR  

EM QUALQUER LUGAR DESIGNADO PELO CÓDIGO DA ESTRADA PARA ESTACIONAMENTO, TERRENOS PRIVADOS, PARQUES DE CAMPISMO, ÁREAS DE SERVIÇO DE AUTOCARAVANAS, ÁREAS DE SERVIÇO.

NÃO É POSSÍVEL PERNOITAR EM ÁREAS PROTEGIDAS, EXCEPTO EM PARQUES DE CAMPISMO, AUTOCARAVANISMO, PARQUES DE ESTACIONAMENTO ESPECÍFICO PARA AUTOCARAVANAS OU ESPAÇOS AUTORIZADOS

Esta é talvez das temáticas mais sensíveis que qualquer empresa deste sector pode abordar e aquilo que todos devíamos promover agora é a sensibilização, o cumprimento das leis e regras bem como se possível ensinar o nosso cliente, não outra coisa. Andamos há muito a dizer mas há sempre um mas de outras partes. Este artigo é nu e cru e vamos ser o mais imparciais possível.

 

Todos já se aperceberam que o turismo sobre rodas veio para ficar, aliás é dos tipos de turismo mais velhos que há. Os números de dormidas aumentam ano após ano e existem alturas que a região não consegue dar resposta a todos. Porquê?  As limitações são evidentes.

No Algarve existiam oficialmente em 2018, 6878 unidades hoteleiras contra 28 parques de campismo, auto-caravanismo, áreas de serviço de auto-caravanas . 

Para termos uma real noção do crescimento deste sector  analisámos o turismo de campismo ao ar livre legal em 2019 a nível nacional

FORAM REGISTADAS 6.9 MILHÕES DE DORMIDAS NUM TOTAL DE 1.9 MILHÕES DE CAMPISTAS, SENDO QUE 80% SÃO ESTRANGEIROS EM ÉPOCAS MÉDIA- BAIXA. DESTINO PREFERENCIAL PELO LITORAL ALENTEJANO E ALGARVE.

  ENTÃO O QUE SE PASSA  ? 

PORQUe se diz QUE EXISTE UMA CAÇA AOS AUTOCARAVANISTAS 

Para nós não existe uma caça mas sim um implementar de fiscalização que há muito que deveria haver. 

Se até aqui as autoridades eram permissivas para com o abuso de estacionamento devido ao claro défice de infraestruturas para receber tanto turismo sobre rodas (e deve continuar) o mesmo não podemos dizer em relação aos abusos de poluição excessiva das nossas reservas, parques naturais e não só.

Somos da opinião que as autoridades estão para sensibilizar e fiscalizar, não para ensinar o que cada um deveria saber quando parte para este tipo de turismo e aventura. Apesar de usarmos a expressão " ISTO É UMA AMÉRICA" , não quer dizer que o seja onde aliás  ainda estamos a muitos anos de experiência de campo para podermos ter uma mentalidade de uso apropriado dos recursos como eles. 

Analisando os dados em cima, de fontes oficiais, percebemos muito rapidamente que existe muito provavelmente também, um número omisso que não é contabilizado e que para além de ser certamente um número elevado, trás uma enorme preocupação aos locais, autoridades e ás empresas do sector sejam elas de autocaravanas ou tendas pois coloca a integridade de um conceito inteiro em risco. 

 

Para nós o problema não está  no "CAMPISMO SELVAGEM" mas na "MENTALIDADE SELVAGEM", não de todos, mas de alguns utilizadores do turismo ao ar livre que se dizem amantes da natureza.

Ora quem  ama realmente a natureza não deixa sacos de lixo no meio do mato, não acende fogueiras debaixo de pinheiros, não faz "RAVES" até altas horas da manhã ignorando tudo e todos, não descarrega a sua auto-caravana num caminho privado ou numa estrada de acesso à praia, quem ama natureza explora e tem interesse pela fauna e flora do local que escolheu para ficar e sempre que possível deixar o lugar melhor do que aquilo que encontrou. 

Desengane-se quem pensar que este é um problema do auto-caravanista ou campervanners. Esta é uma problemática de todos, sejam eles trekkers, surfers, sk8ters, bikers, ground campers, walkers , lovers etc, um enorme grupo de "ERS" que não são representados por quem faz asneira. Não tem a ver com classes ou estatutos, com estilos de vida ou gostos tem a ver com as mentalidades de algumas pessoas que se tornam tóxicas e perigosas a tudo o que está à sua volta.

76751370_10157859115743945_7612012427516

  CAMPISMO e  AUTOCARAVANISMO   

O campismo é talvez das formas mais interessantes de passar uns dias em família ou até mesmo sozinho capaz de revigorar cada pedaço do nosso corpo e mente. Principalmente para quem tem crianças, permitir este tipo de experiências contribui de tal forma para o seu desenvolvimento que é quase como que uma obrigação em certos países. É tão bom que iremos mais tarde abordar o tema num artigo somente sobre este assunto.

Infelizmente em Portugal campismo selvagem é proibido, não por culpa do conceito em si mas por 3 motivos, na nossa opinião.

  •  formação 

É claramente perceptível que a maioria dos utilizadores precisa de algum tipo de formação nesta área.

Mesmo que mantenha as boas práticas de higiene ao recolher o seu lixo e respeito pelo próximo, demonstra por vezes falta de conhecimento pelo manual de boas práticas: tais como a limpeza do terreno, a preparação de um sitio para fazer as suas necessidades ( ver artigo ), estudar o meio envolvente, saber ler uma carta em caso de ficar sem equipamentos electrónicos, levar kit de primeiros socorros para o caso de acontecer algum azar etc etc. 

Nós que até temos algum conhecimento estamos sempre a aprender novas coisas tal como actualizar o conhecimento que temos e longe, muito longe de sabermos tudo. Nesta área ninguém sabe tudo, nem lá perto mas quanto mais conhecimento  tivermos, mais aproveitamos e melhor preparado estamos para enfrentar condições menos favoráveis.

Portanto achamos que a partilha de conhecimento e formação por parte das empresas do sector em relação ás boas práticas ao cliente é muito importante. Assim o cliente terá opção de escolha daquilo que vai fazer, onde ficar e se tiver de ficar num sitio remoto, como proceder de modo a deixar o mínimo de vestígios possível da sua presença. 

MusTreeOfLife.jpg
  • económicos

Se tivermos mais e melhores parques de campismo, parques de auto-caravanismo, ASA´s e outras infraestruturas de apoio ao sector, teremos mais turistas, mais dinheiro a circular, as economias locais crescem, os impostos aumentam nos cofres das autarquias e teremos mais emprego. Uma equação simples que está a ter dificuldades em ser implementada, muitas das vezes por falta de vontade, outras pelos processos carregados de burocracia.

Ouvimos há muito tempo uma opinião sobre este tipo de turismo: "TURISMO POBRE" ou "TURISMO PRECÁRIO".

 

 Nada mais errado 

Se por um lado temos autocaravanas velhas a circular pelas estradas nacionais por outro o grosso deste turismo são as autocaravanas e Campervans com menos de 10 anos que se não fossem alguns websites e privados a alugarem veículos entre privados, a lei somente permitiria autocaravanas ou similares com um máximo de idade de 8 anos, com renovação máxima de 1 ano por dois períodos iguais consecutivos ou seja 10 anos.

 

Cada veiculo destes custa facilmente 50 mil euros e os estrangeiros já nos habituaram a ver verdadeiras mansões sobre rodas cujo o valor oscila entre os 100 e os 300 mil euros.

Como também estamos envolvidos no ramo da hotelaria e restauração  sabemos perfeitamente que o utilizador deste estilo de turismo não é concorrente a nenhuma unidade hoteleira mas sim um complemento. 

Temos reparado que o turista sobre rodas veio diminuir  a sazonalidade no Algarve, ocupando as meias e baixas épocas. Estes potenciam e estimulam negócios que de outra forma nem estariam abertos.  

Se juntarmos ao preço das caravanas  o valor do IUC, seguros , gasóleo e gastos de uma viajem também rapidamente vemos que escolher viajar sob rodas tem mais a ver com um estilo de vida do que poupança. 

Se quisermos poupar sai bem mais barato apanhar o autocarro vindo de qualquer parte com um grupo de amigos, alugar um quarto num hostel,  AL ou até num B&B a 10/15€ por pessoa e comer enlatados todos os dias. Apesar de haver espaços simplesmente espectaculares, tal como no sector do turismo móvel, existem autênticos antros de atentado à saúde pública. 

 

Por isso fica a saber que o autocaravanismo e similares no seu grosso não são um turismo pobre, segundo os dados da AHRESP - ASSOCIAÇÃO DA HOTELARIA, RESTAURAÇÃO
E SIMILARES DE PORTUGAL

Devem sim, ser criadas condições para todas as bolsas, em locais que se dignem a ser chamados de turismo ao ar-livre. A ideia de que acordar, abrir a janela com vista para o mar ter de custar balúrdios, tem de acabar. De borla não, mas discriminados também não.

"Ninguém descobre os costumes e gastronomia de uma região estando fechado num hotel de 5 estrelas. É preciso mobilidade para isso acontecer, liberdade de preconceitos e mente aberta para entrar num tasco ou falar com a dona Cláudina ou o Sr. José"  

  • interesses

É claro que existem sempre interesses sejam eles qual forem  por detrás de qualquer coisa e o campismo ou autocaravanismo não são excepção.

O que todos têm de perceber é que os espaços que todos querem usar de "borla" têm custos mesmo não tendo praticamente manutenção nenhuma. A limpeza, fiscalização e manutenção têm custos e esses custos têm de ser suportados por alguém. Normalmente pelas autarquias que em muitos casos não dispõem de verbas para tal e passam para o nosso governo, que também toma uma posição demasiado descontraída em relação a este assunto.

Assim sendo torna-se mais fácil proibir o campismo selvagem ou a pernoita em parques naturais sob o mote que o campismo provoca danos irreversíveis à  fauna e flora, quando todos sabemos que isso só acontece porque economicamente é muito mais barato mandar para um parque de campismo com as ditas condições de segurança e higiene, que educar quem quer passar uns dias no mato. 

Um incêndio por falta de limpeza provoca danos irreversíveis, a construção de um aldeamento em pleno parque natural provoca danos irreversíveis a falta de acção em arranjar soluções provoca aos locais danos irreversíveis e mais grave ainda a falta de formação provoca tudo isto. 

Abdicar do conforto em prol das sensações e experiências é uma opção própria de cada um e se não poder ser grátis pois que se pague, mas que se criem condições.

Por exemplo a Costa Vicentina parte algarvia, sendo um dos principais destinos do turismo móvel a nivel nacional, tem apenas 3 parques de campismo ou autocaravanismo oficiais, desde a praia da Luz, Lagos até Aljezur, o que logicamente é pouco e até o próprio ramo da hotelaria poderia fazer algo interessante para captar este cliente para as suas unidades.

No Algarve existem actualmente 33 PCC ( parque de campismo e de caravanismo), PCR ( parques de campismo rural) e ASA ( áreas de serviço para autocaravanas ) na rede RAARA - Rede de Acolhimento ao Autocaravanismo na Região do Algarve. 

  COMO FICAMOS  ? 

Ficamos exatamente naquilo que na realidade é, campismo selvagem é ilegal em portugal o que é muito injusto para quem realmente gosta de natureza e até ver, temos de aceitar as restrições enquanto não há soluções. Na verdade com o aumento do número de autocaravanas e carrinhas transformadas que quando legais são exactamente iguais a uma autocaravana em termos de legislação cresce o número de problemas e excessos. 

A maioria dos novos utilizadores encontra-se na dúvida se pode ou não parar, estacionar ou pernoitar por ai sem regras e as respostas estão logo no começo deste artigo para poupar a massada de ler isto tudo.

Não promovemos a ilegalidade e até aconselhamos os nossos clientes a estarem na legalidade, mas cada um é livre de fazer aquilo que bem entender sendo responsável pelas atitudes que toma e assim sendo terá de assumir a responsabilidade se algo correr menos bem. 

Nós já pernoitamos em sítios ditos ilegais é verdade, mas somos nós e estamos conscientes que se algo acontecer a responsabilidade é nossa. O que nós promovemos não é ilegalidade  mas sim umas férias bem diferentes daquilo a que estás habituado. Incentivamos a que tenhas a tua melhor experiência, não a nossa. Lembra-te que é o teu momento e não o nosso.

Felizmente temos a sorte de ter um conjunto de lugares que nos permitem ficar com autorização e nunca recebemos uma reclamação. Tentamos minimizar sempre tudo o que indique que tivemos nesse local e até agora a única autoridade  que nos abordou, foi para perguntar se tudo estava bem e ainda levaram umas águas. 

Gostamos de caçar sunsets e de juntar um par de amigos, não gostamos de multidões, logo aquilo que se passa na Costa Vicentina é simplesmente inaceitável e vai contra aquilo que promovemos.

o que precisas realmente saber 

PCC- parques de campismo e caravanismo - Quando legais são espaços preparados para receber a tua viatura, com todas as infraestruturas necessárias ao apoio de uma caravana ou autocaravana, sendo possível realizar a descarga das águas sujas,cassete de resíduos e encher os depósitos de água limpa. Estes locais têm balneários, saneamento e pontos de electricidade para que possas carregar a tua viatura no teu lugar. Podem ter outros serviços como piscina, WiFi, supermercado, posto médico, parque para crianças etc etc .

Os preços são variáveis e sujeitos a alterações pelo proprietário.

 

ASA - áreas de serviço para autoravanas - Locais específicos para a pernoita em autocaravana com área de serviço onde é possível despejar as águas sujas, cassete de resíduos e encher os depósitos de água limpa . Estes espaços podem ou não ter pontos de luz , balneários e saneamento. Tempo de permanência é de 72h no máximo sem interrupção. 

 

PERNOITA - As CamperVans são consideradas autocaravanas ou seja veículos ligeiros à luz do código da estrada. Pernoita é igual a um estacionamento não interessa se estás dentro ou não a lei não faz essa distinção. A tua viatura pode estar estacionada por 30 dias . 

Regime jurídico da conservação da natureza e da biodiversidade- estatuto que regulamenta as áreas protegidas nacionais tais como parques e reservas naturais.

Neste mapa do ICNF tens representado todos os parques e reservas que nos quais não podes pernoitar 

 RESERVAS NATURAIS ICNF

Plano de Ornamento da Orla Costeira - O POOC é um plano de gestão de espaços da orla costeira que pode ser adoptado pelos municípios com acesso ao litoral. Esta medida serve para e passamos a citar o DL 159/2012

a) Interdição da utilização dos parques e zonas de estacionamento para outras atividades sem licenciamento prévio;

b) Interdição da permanência de autocaravanas ou similares nos parques e zonas de estacionamento, em período noturno a definir;

O seguinte mapa representa as 8 zona de POOC em Portugal .

POOC

Como já deves ter reparado as tendas de tejadilho (desde que não excedam as dimensões da viatura na qual estão instaladas ) não estão incluídas nos POOC o que te dá uma vantagem para pernoitar numa praia ou num sitio no litoral e apesar de te aconselharmos a ir para sítios indicados, a verdade é que te é permitida a pernoita ficando ao teu critério essa decisão. Porém lembra-te sempre que o mesmo não se sucede nos parques e reservas naturais onde a pernoita é proibida em qualquer veículo e pode levar-te a coimas elevadas. Nesses casos deves pernoitar num PCC, PC ou até num parque de estacionamento fora da reserva . Melhor ainda, aproveita esta situação para renovares a confiança dos locais para com este conceito, estaciona a tua autocaravana, van ou similar e vai relaxar, usufruir a noite numa unidade hoteleira local.

  CONSELHOS  

Valem o que valem, porque no final a decisão é tua mas esta é a nossa mentalidade. O campismo selvagem, injusto ou não, é ilegal em Portugal  mas se cumprires o manual de boas práticas e te comportares calmamente serás tolerado. 

Evita praias turísticas e zonas com muita gente, tenta aproveitar para pernoitar mais para o interior pois ninguém se vai chatear e até poderás encontrar um tal de sr. José que te poderá dar permissão para pernoitares no seu terreno.

Chamam-se áreas protegidas por algum motivo por isso protege as mesma ou se não protegeres ao menos tenta não contribuir para a sua destruição, minimizando o impacto da tua presença. 

 Ser discreto é a melhor coisa 

Em Portugal temos uma particularidade, sabemos receber e respeitar quem nos respeita com máxima cordialidade. Portanto se souberes respeitar o espaço onde estás, os seus habitantes, os hábitos e costumes de tudo o que te rodeia, ter a perspicácia de saber quando podes abrir o toldo com todo o arraial a acompanhar, quando podes ou não fazer uma fogueira  ou se simplesmente deves parar para dormir o tempo suficiente para seguir viagem para um sítio mais "permanente" e cumprires o manual de boas práticas em principio serás bem recebido pelos locais que até te convidam para frequentar os seus negócios e assim até a autoridade faz vista grossa.

Agora se te dá uma de conquistador de terrenos à beira mar, com música aos altos berros acompanhado de uma borracheira monumental que te dá para mandares garrafas em modo lançamento do dardo para o meio da natureza às tantas da manhã e no outro dia quando abalas deixas o sítio num autêntico esterco, vais certamente ter problemas com os locais e com as autoridades. Este tipo de atitude não dignifica ninguém nem nenhum setor, muito pelo contrário e deve ser fortemente penalizado. 

 e AGORA QUE JÁ LESTE ISTO TUDO NÃO FIQUES A PENSAR QUE ISTO É UM PROBLEMA SÓ DE PORTUGAL. EM 42 PAÍSES DA EUROPA, 26 NÃO PERMITEM CAMPISMO SELVAGEM. POREM 22 TOLERAM ( QUE É O NOSSO CASO) E 4 PROÍBEM MESMO NA TOTALIDADE. nA ISLÂNDIA É PROIBIDO O CAMPISMO SELVAGEM MAS A PERNOITA EM TENDA É PERMITIDA. NOS RESTANTES 16 PAÍSES O CAMPISMO SELVAGEM É PERMITIDO COM REGRAS. 

TODOS OS 42 TÊM ALGO EM COMUM, A PROIBIÇÃO DE CAMPISMO SELVAGEM EM PARQUES E RESERVAS NATURAIS.  

 É importante conseguirmos achar o equilíbrio entre nós, a lei e a natureza de maneira a podermos aproveitar ao máximo a experiência única de descobrir o nosso belo país sobre rodas  

MusSecretSpot.jpg
MusCatchingTheSun.jpg
MusFamily.jpg

RESPEITA AS REGRAS, CUMPRE E PROCURA SEMPRE MINIMIZAR  A TUA PRESENÇA 

RESPEITA  A NATUREZA E SEUS HABITANTES, RESPEITA A COMUNIDADE LOCAL 

E  LEMBRA-TE DE DEIXAR TUDO MELHOR 

ONDE POSSO ACAMPAR